Editorial

Mais eleitores que habitantes. E agora?

14 de Junho de 2018 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Um estudo da Confederação Nacional de Municípios (CNM) analisou as estatísticas divulgadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e identificou 231 municípios com mais eleitores que habitantes. O antigo problema, já apontado em pleitos anteriores, dá margem ao debate sobre o risco de fraudes na escolha de representantes políticos, a menos de quatro meses das urnas.

Atualmente o país contabiliza 146,1 milhões de pessoas aptas a votar nas 5.568 cidades brasileiras. E está em Minas Gerais o maior número de localidades (75) onde existem mais votantes do que moradores. Seguem São Paulo e Santa Catarina, com 29 e 20 municípios, respectivamente. A maior disparidade, porém, está em Canaã dos Carajás (PA), onde estão registrados 3.857 eleitores a mais que habitantes. O segundo é Cumaru (PE), com diferença de 3.396. No Rio Grande do Norte, Severiano Melo possui 3.150 moradores e registra 6.149 eleitores.

O novo presidente da CNM, Glademir Aroldi, avalia algumas hipóteses para o problema. Pode ser explicado pela mobilidade das pessoas que mudam o domicílio eleitoral para suas cidades de origem ou para cidades litorâneas, ou porque as respectivas populações estão subestimadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já o TSE aponta essas discrepâncias como resultado na distinção entre os domicílios eleitoral e civil.

São Paulo tem o maior eleitorado do país, com 33,2 milhões de votantes e 22,78% do total. Em segundo lugar vem Minas Gerais (15,6 milhões e 10,69% do total). Das regiões com mais eleitores, os dez primeiros colocados são capitais. Já o município com menor número de eleitores é Araguainha (MT), com apenas 945 votantes. (Com informações da CNM)


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados