Estilo
Crônica

O futuro começa aqui

07 de Julho de 2018 - 06h02 Corrigir A + A -

Por Thais Russomano

"O mundo do amanhã é desenhado pela tecnologia desenvolvida hoje." Essa é frase que convida a conhecer a exposição O futuro começa aqui do Museu Victoria & Albert. Com mais de cem objetos e sistemas já existentes ou em desenvolvimento, a exibição discute a sociedade que emergirá nos próximos anos. Já no início, fica claro que nada ali está restrito ao campo da ficção científica. Tudo poderá, realmente, existir e redesenhar nosso cotidiano no futuro.

Você já imaginou poder armazenar suas memórias num pen drive? Viver numa casa totalmente digitalizada que garanta seu bem-estar e segurança 24 horas por dia? Congelar seu corpo para ser ressuscitado décadas depois? Vestir roupas cheias de sensores capazes de medir o funcionamento do seu corpo e monitorar suas doenças? Ou ainda, ter uma câmera que decide quando clicar uma foto, um carro que ande sem motorista ou uma roupa com músculos que auxiliam movimentos de idosos ou deficientes físicos?

Esses são alguns exemplos dos objetos e sistemas que deverão fazer parte de nossa existência nos anos que estão por vir. No entanto, a exposição também levanta questionamentos éticos e morais, debate a interferência desmedida da tecnologia nas relações interpessoais e alerta para dependência do ser humano do mundo digital. São inquestionáveis os benefícios que a ciência pode nos legar, mas também não deixa de ser assustador a nova ordem social que pode emergir do uso e abuso da tecnologia.

A indicação foi de minha amiga de infância, Adriane Chatkin, que andou por Londres recentemente. Valeu a dica! Não há como não sair dessa exposição com mais perguntas do que respostas. Assim, no nosso próximo encontro, Adriane e eu teremos muito que conversar.

Comentários Comente

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados