Estilo
Crônica

O momento presente

07 de Julho de 2018 - 06h02 Corrigir A + A -

Por Maria Alice Estrela

Tudo conspira contra o que se deseja na exata medida da ansiedade. Deduz-se, pois, que, expectativas devem ser dosadas com conta-gotas do elixir da paciência. Mas entre o saber e o fazer há uma enorme diferença.
Aprender com o desenrolar do tempo, que vira e revira situações e desmascara devaneios, é inevitável. Chego a ter certa inveja santa dos que já nascem sabendo pois que sou aluna repetente e, ainda, vacilo no trato com a expectativa demasiada.

Viver o momento presente como ele se apresenta implica em aceitar e compreender a valiosa essência da realidade momentânea. E o momentâneo sempre causa desassossego porque dá a impressão da volatilidade de quase tudo que nos rodeia. Causa angústia deixar o tempo rolar no seu próprio ritmo. Mania de tentar controlar a surpresa do momento seguinte é um mal constante entre os mortais.

Apesar de nos sabermos temporários, exaustivamente, buscamos o permanente. Insistimos em desconhecer nossa vulnerabilidade no efêmero e passageiro dos dias. Queremos nos arraigar com mãos cravadas como raízes, aprisionando o agradável de cada instante para que permaneça e não se esvaneça no momento seguinte.

A incansável busca da sensação de felicidade duradoura atrapalha muito as alegrias instantâneas. Perdem-se valiosos momentos na apressada vontade de buscar o distante depois como se o aqui e agora fossem de pouca valia.

Olhamos para um pôr do sol e mesmo apreciando a beleza do instante, alongamos nosso olhar para além do horizonte, espreitando a noite que se aproxima, deixando que a beleza do momento se esvaneça como névoa.
Muito semelhantes ao Coelho, o personagem muito apressado do livro Alice no País das Maravilhas, corremos na maratona das horas em busca do próximo passo sem admirarmos a paisagem ao redor.
E tudo está no detalhe. O detalhe de um gesto de ternura, o detalhe de um sorriso amável, o detalhe de um olhar compreensivo, o detalhe de uma palavra de estímulo. É no detalhe do momento presente que se justifica a vida.

A incerteza do futuro intranquiliza e desestrutura. Faz parte do enredo, no entanto.

Então e, por que não, assimilar do presente palpável o néctar que se nos é oferecido como dádiva?
É uma boa opção medir o momento presente para além das fronteiras das horas do dia. Momento presente é a realidade atual da vida de cada um. É o que se desenrola como linha de carretel no correr dos dias. O mês de junho já não faz parte do meu momento presente. Julho chegou, trazendo uma realidade diversa e fértil. Novidades sempre são bem-vindas. E mesmo que se repita a rotina, algo de diferente há de surgir para me presentear no pacote enfeitado do momento-presente.

Saiba eu viver mais o presente, deixando o passado de lado sem receio do desconhecido futuro, rememorando as palavras de Miguel de Cervantes: "o pasado sea pasado, y tómese otra vereda, y basta." (Seja passado, o passado. Tome-se outro caminho e pronto). Caminho que descortina vivências significativas no momento presente.

 

Comentários Comente

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados