Agronegócio

Um novo horizonte para a cadeia leiteira

Polo Fronteira Sul da Rota de Integração do Leite é uma iniciativa que está sendo estruturada pela Embrapa Clima Temperado e a Azonasul

06 de Julho de 2018 - 14h30 Corrigir A + A -
Futuro. Fortalecimento do setor pode dar outro ânimo aos produtores. (Foto: Infoenter Paulo Rossi 2013)

Futuro. Fortalecimento do setor pode dar outro ânimo aos produtores. (Foto: Infoenter Paulo Rossi 2013)

Aperfeiçoar a qualidade, aumentar a produção e promover a competitividade da cadeia produtiva do leite são prioridades na estruturação do Polo Fronteira Sul da Rota de Integração do Leite, iniciativa da Embrapa Clima Temperado e da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) que vislumbra novas alternativas para os produtores da região. O assunto vem merecendo discussões para a conquista de novas adesões e já foi apresentado ao coordenador-geral do Ministério da Integração Nacional, José Joaquim Carneiro Filho, durante reunião, na sede da Embrapa Cascata.

Ao apresentar o panorama atual do leite, o pesquisador Waldyr Stumpf Júnior destacou a importância estratégica dos produtores da região no contexto nacional em função da integração do Bioma Pampa, pelas características peculiares e a riqueza de biodiversidade, bem como pela facilidade de logística através das fronteiras com Uruguai e Argentina. Segundo Stumpf, a região Mesosul apresenta mais de 4,5 mil produtores de leite e produção anual em torno de 280 milhões de litros, que geram emprego e renda e garantem uma injeção permanente de recursos financeiros aos municípios da região.

Conforme o chefe-geral da Embrapa, Clenio Pilon, o projeto das rotas pode ser articulado com um Arranjo Produtivo Local (APL) com o objetivo de criar condições e estimular o desenvolvimento da região com foco na produção primária. “A Região Mesosul e a cadeia do leite se encontram nesta convergência, que, somada às lideranças e às instituições públicas e privadas, deverá propiciar a construção deste projeto regional”, anunciou.

Articulações
Durante o encontro com os representantes do Ministério da Integração, o presidente da Azonasul, Rudinei Harter (PDT), prefeito de São Lourenço do Sul, entregou documento pedindo celeridade nos estudos de viabilização do projeto, que no entendimento das lideranças regionais valoriza as unidades de produção do leite apresentando-se como alternativa viável à recuperação da Cosulati, por exemplo, que atende a bacia leiteira da região. Harter também enfatizou a abrangência do trabalho proposto, envolvendo várias regiões do Estado e o suporte técnico gerencial previsto: o Programa Protambo/Balde Cheio, desenvolvido pela Embrapa. 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados