Inflação

Variação mínima no custo do cesto básico em junho

Preço subiu apenas R$ 0,02, fechando em R$ 796,88

05 de Julho de 2018 - 16h29 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Depois dos aumentos de maio, cinco dos hortifrútis baixaram de preço em junho (Foto: Jô Folha - DP)

Depois dos aumentos de maio, cinco dos hortifrútis baixaram de preço em junho (Foto: Jô Folha - DP)

Foi exatamente de R$ 0,02 a variação no custo médio do cesto básico de 51 produtos nos supermercados de Pelotas no mês de junho, segundo mostra a pesquisa de preços do Procon, divulgada nesta quarta-feira (4). Na ração essencial de 13 produtos, houve queda de 5,17%, o equivalente a R$ 20,19.

No cesto básico, o custo dos 51 produtos aumentou, no mês de junho, de R$ 796,86 para R$ 796,88. Na ração essencial, caiu de R$ 390,15 para R$ 369,96 nos 13 produtos pesquisados pelo Procon. O primeiro atende a uma família de até quatro pessoas por um mês; o segundo, a apenas uma pessoa por igual período.

Quando analisada a estabilidade no custo do cesto básico, é constatada que a queda esperada para junho, como reflexo do fim da greve dos caminhoneiros, não ocorreu. Alguns produtos, como os hortifrutigranjeiros, tiveram redução de preços - os maiores no tomate, de 58,49%, após aumento de 60,61% em maio, e na cebola, de 53,87%, depois do reajuste anterior de 56,81%.

Analisando outras quedas de preços em junho, é verificado que a batata inglesa, reajustada em 82,08% em maio, teve uma redução de apenas 43,71% em junho. No repolho verde, ocorreu algo semelhante: o aumento tinha sido de 46,28% em maio, mas a redução de preço em junho ficou em 19,64%.

Nem todos os produtos voltaram a ter os preços anteriores ao período de desabastecimento, quando houve altas dos preços de vários produtos, concordou Ana Paula Duarte, do Procon de Pelotas. Segundo o gerente regional Manoel Saavedra, um exemplo ocorreu com o leite longa vida, que chegou a ser fornecido para a rede de supermercados por mais de R$ 3,00, o que inviabilizou a oferta de várias marcas ao consumidor - apenas as do estoque, lembrou.

“Vai baixar mais”, estimou Saavedra. Sua expectativa é para mais um mês ou um mês e meio. Apesar de período de entressafra, o aumento para o leite praticado pela indústria foi maior que deveria ser, diz o gerente.

Principais variações

Quedas
Tomate - 58,49%
Cebola - 53,87%
Batata inglesa - 43,71%
Mamão formosa - 21,65%
Repolho verde - 19,64%

Aumentos
Absorvente íntimo - 45,77%
Desinfetante líquido - 27,73%
Sal refinado - 20,08%
Leite longa vida - 16,78%
Carne de frango - 10,58%


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados