Financiamento

Aumento do percentual traz o maior benefício para aquisição da casa própria

Além da redução de juros, a Caixa ampliou as condições de financiamento de imóveis para pessoa física, aumentando o limite de cota do imóvel usado de 50% para 70%

17 de Abril de 2018 - 14h40 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Limite. O presidente Sérgio Cogoy acredita que favorecerá os negócios. (Foto: Gabriel Huth - DP)

Limite. O presidente Sérgio Cogoy acredita que favorecerá os negócios. (Foto: Gabriel Huth - DP)

A Caixa Econômica Federal anunciou na segunda-feira (17) a redução de até 1,25% das taxas de juros do crédito imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). As taxas mínimas passaram de 10,25% ao ano para 9% ao ano, no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e de 11,25% ao ano para 10% ao ano, para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Além da redução de juros, a Caixa ampliou as condições de financiamento de imóveis para pessoa física, aumentando o limite de cota do imóvel usado de 50% para 70%, o que vem facilitar as negociações do mercado imobiliário, avaliou o presidente do Sindicato da Habitação - Secovi Zona Sul, Sérgio Cogoy. “É positivo”, explica, lembrando que diminui o percentual de entrada para o comprador em 20%.

A compra da casa própria exige sempre um planejamento neste sentido, com uma visão não apenas momentânea, mas de longo prazo. O mercado, hoje, está favorável, com uma demanda positiva, que oferece opções de escolha e de negociações com os clientes. “O percentual de financiamento é mais significativo do que a queda dos juros”, diz Cogoy.

Hoje, a maioria dos imóveis que o mercado de Pelotas comercializa está na faixa média entre R$ 150 mil e R$ 300 mil. Nesta faixa, a preferência recai sobre as unidades com dois dormitórios. “São os que mais rodam”, diz o presidente. Uma avaliação dentro da realidade de mercado é importante, com um estudo sobre o imóvel e sua localização.

Com a palavra, a Caixa
Segundo o presidente Nelson Antônio de Souza, “o objetivo da redução é oferecer as melhores condições para os nossos clientes, além de contribuir para o aquecimento do mercado imobiliário e suas cadeias produtivas”.
Estão fora os financiamentos pelo programa Minha Casa, Minha Vida, cujos recursos vêm do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

De acordo com a Superintendência Regional Extremo Sul da Caixa, desde segunda-feira o sistema está todo atualizado com os novos percentuais. Os interessados devem procurar as agências ou os correspondentes da Caixa credenciados - imobiliárias e lotéricas - onde são feitas as simulações do financiamento. Outra opção é o site da Caixa, o www.caixa.gov.br.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados