Futebol

Do interior para o interior

À frente da FGF há 15 anos, Francisco Noveletto Neto avalia a evolução ocorrida nos últimos anos

14 de Abril de 2018 - 20h17 Corrigir A + A -

Por: Sérgio Cabral
cabral@diariopopular.com.br 

Novelletto (D) com os vices Luciano Hocsman e Nilo Job (Foto: Sérgio Cabral-Especial DP) (Foto: Divulgação - DP)

Novelletto (D) com os vices Luciano Hocsman e Nilo Job (Foto: Sérgio Cabral-Especial DP) (Foto: Divulgação - DP)

Encerrado o Gauchão do Centenário, o presidente da FGF, Francisco Noveletto Neto, anunciou um supercampeonato para a temporada 2019 - ano de sua despedida como administrador da entidade que trata dos interesses do futebol do Rio Grande do Sul. Ele pode encaminhar, em breve, um pronunciamento anunciando um posto na CBF, sendo assim, assume o cargo o seu vice-presidente Luciano Hocsman. Chico, como é chamado pelo mais próximos, está há 15 anos na presidência.

Noveletto atuou por mais de 20 anos como dirigente no futebol, no período das dificuldades, no tempo em que todos pagavam tudo para jogar e depois dividiam as contas. Da ficha de inscrição às arbitragens, viagens e folhas salariais, além dos compromissos sociais, da manutenção das equipes como mensalistas da FGF e outros.

"Só eu sei como o futebol mudou nos últimos 20 anos em nosso Estado. Sei que outros presidentes também tentaram apoiar os clubes financeiramente e tratar melhor o crescimento do futebol. Mas sem parceiros, sem transmissão de TV e sem dinheiro, não tem como se fazer futebol vitorioso. Evoluímos muito nos últimos anos, com clubes do interior se organizando, com novos estádios, gramados, iluminação - alguns jogando competição nacional e buscando os seus espaços. Ainda temos que melhorar muito e dá para buscar novos espaços - basta planejamento e organização", disse Noveletto.

Hoje, com o pé bem mais dentro da CBF, Noveletto quer seguir o seu projeto administrativo e financeiro como um dos vice-presidentes. Recentemente, comandou a delegação brasileira nos amistosos na Rússia e na Alemanha. "Tenho acompanhado o futebol em todos os estados do país e no mundo. No Brasil, ainda tem locais que não ocorre o que acontece aqui. Empregamos muitas famílias a cada ano, nas competições de todas as divisões. Afora nossos colaboradores diretos na FGF - uma grande empresa hoje -, são mais de 1,5 mil atletas trabalhando por temporada, somente no primeiro semestre. São mais de 5 mil pessoas que dependem do trabalho desses profissionais que fazem os clubes empregar, contratar comissões técnicas e dirigentes remunerados. Quantas empresas trabalham em volta do futebol, em todas as atividades, como transporte, alimentação, material esportivo, hotéis, turismo e tantas outras? Nossa responsabilidade social é muito grande e, assim, entendemos que o futebol deve ser administrado no RS", destacou o presidente.

A referência
Quanto à evolução geral, ele disse: "A dupla Gre-Nal é a nossa referência maior, com grandes títulos e conquistas em nível nacional e mundial. Mas eles valorizam o Gauchão e o interior. Pois sabem que estão crescendo muito. O Novo Hamburgo deu um grande exemplo em 2017. Nossos árbitros também foram de ponta para o país, como Leonardo Gaciba, Renato Marsiglia, Carlos Eugênio Simon. Agora, o Anderson Daronco está sendo reconhecido nacionalmente. Nossos treinadores do Estado, como Felipão, Mano Menezes, Dunga, Tite - que já faz um grande trabalho e vai levar o Brasil ao hexa" - também já conquistaram seu espaço, acredita Chico.

Exemplo do interior
Neste período de FGF, Noveletto acompanhou o crescimento do Novo Hamburgo, do São José, do Caxias, do Juventude, do Pelotas, do Ypiranga, do Lajeadense e de outros. Também viu os altos e baixos das equipes, mas destacou a administração de Ricardo Fonseca. "Nos últimos seis anos, o Brasil conta conta com um cara muito dinâmico e com visão no futebol. Aprendeu e soube conduzir o clube em todos os passos para a sua evolução. Ele, seus diretores e a torcida estão de parabéns. Eu fui vaiado na final do Gauchão em Pelotas e ouvi algumas bobagens, desnecessárias, mas como sempre fui do interior e fui torcedor, sei bem o que é isso, ao lidar com a emoção e a paixão. Perguntem ao pessoal do Brasil, ao Ricardinho, quem mais apoiou o clube em todos os acessos, e, principalmente, na hora das grandes dificuldades", encerrou Noveletto.

Diretoria atual até 2019

Presidente: Francisco Noveletto

1º Vice-presidente/Vice-Presidente Jurídico: Luciano Hocsman

2º Vice-presidente: Nilo Job

Diretor executivo e diretor da Ceafrs (árbitros): Luiz Fernando Gomes Moreira

Diretor de Departamento de Futebol Profissional: Edir Quadros

Supervisor-geral futebol (Base, Profissional, Feminino e Futmesa) - Clóvis de Oliveira Martins

Diretor médico: Ivan Pacheco

Diretor do Departamento de Marketing: Sylvio Ballverdu

Diretor jurídico - Áreas cível e tributária: Mário Sérgio Martins

Diretora jurídica - Áreas trabalhista e desportiva: Suelen Dias

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados