Violência

Ato pede mais segurança em Pelotas

Familiares do motorista da Uber baleado no Pestano realizaram protesto pedindo mais segurança; Patrick se recupera de pneumonia, está sem o movimento das pernas e com dificuldade para mover os braços

13 de Abril de 2018 - 18h15 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Familiares de Patrick Alves, motorista da Uber baleado no loteamento Pestano no dia 2 de abril, fizeram um novo ato por mais segurança nesta sexta-feira (Foto: Jô Folha)

Familiares de Patrick Alves, motorista da Uber baleado no loteamento Pestano no dia 2 de abril, fizeram um novo ato por mais segurança nesta sexta-feira (Foto: Jô Folha)

Ato terminou na avenida Bento Gonçalves (Foto:  Mariana Hallal)

Ato terminou na avenida Bento Gonçalves (Foto: Mariana Hallal)

Familiares de Patrick Alves, motorista da Uber baleado no loteamento Pestano no dia 2 de abril, fizeram um novo ato por mais segurança nesta sexta-feira (13). O grupo se reuniu em frente à prefeitura de Pelotas para chamar a atenção das autoridades quanto à insegurança na cidade e depois seguiu em direção ao Hospital São Franscisco de Paula, onde o motorista permanece internado.

De acordo com a companheira dele, Juliana Alves, Patrick já está no quarto, mas seu estado de saúde ainda requer cuidados. Ele se recupera também de uma pneumonia. Segundo a mulher, o motorista está sem o movimento das pernas e com dificuldade para mexer os braços. "Estamos revoltados com a violência, esse ato é por todos os trabalhadores que se arriscam diariamente. Quem garante que isso não vai acontecer com uma outra pessoa? Não tem como aceitar que as pessoas estão sendo baleadas enquanto trabalham", desabafou Juliana. Na próxima semana, Patrick deve ser submetido a exames de meningite.

Com faixas e cartazes em mãos, o grupo pediu que o crime não fique impune. "Quantas pessoas ainda vão ter que ser vítimas da criminalidade para o governo fazer alguma coisa?". Juliana disse que Patrick era o responsável pelo sustento da família e ela pelos cuidados da casa e da família. A filha de nove anos do casal está revoltada com a situação. "Queremos respostas", pediu.

Os manifestantes seguiram mais tarde até a avenida Bento Gonçalves, onde mais uma vez mostraram à população as faixas e cartazes como pedido de justiça e segurança. A Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Captura (Defrec) investiga o caso.

Outros casos
Na última quinta-feira, um motorista da Uber teve o carro atingido por um tiro enquanto deixava um passageiro na avenida São Francisco de Paula, bairro Areal em Pelotas. O condutor estava com o veículo desacelerado para deixar o passageiro ao seu destino quando ouviram o estampido de três disparos. Um dos tiros acertou o vidro traseiro do automóvel.

No dia 9, um outro motorista da Uber foi alvo de assalto enquanto deixava um passageiro no condomínio Visconde da Graça, em Pelotas. Ao sair do residencial, o condutor foi abordado por dois homens - um deles armado - que estavam em uma motocicleta Honda Titan. Os suspeitos ordenaram que motorista entregasse o celular mas como havia movimentação de outros carros, os criminosos fugiram levaram a quantia de R$48,00.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados