Violência

Cai o número de assaltos a transporte coletivo

Em abril passado foram 14 ocorrências, este ano - até agora - a Especializada contabilizou apenas um registro

18 de Abril de 2017 - 22h06 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Defrec contabilizou apenas um registro de roubo ao transporte este mês (Foto: Divulgação)

Defrec contabilizou apenas um registro de roubo ao transporte este mês (Foto: Divulgação)

Abril tem apresentado queda nos assaltos ao transporte coletivo se comparado ao mesmo período do ano passado. Pelo menos é o que mostram os registros da Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Captura (Defrec). Se em abril passado foram 14 ocorrências, este ano - até agora - a Especializada contabilizou apenas um registro. O número representa queda de 92,8% nos roubos praticados ao transporte coletivo.

Embora os dados da Defrec apresentem diminuição nos crimes, o Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Pelotas (STTR-Pel) afirma que os números vão muito além. O presidente do STTR-Pel, José Inácio Lopes de Jesus, o Zequinha, garante que durante o feriadão de Páscoa foram oito assaltos praticados contra o transporte: dois na linha que faz a Zona Norte, cinco no Fragata e um na Balsa.

Apesar de o registro de ocorrência ser uma orientação do Sindicato, Zequinha, porém, reconhece que a maioria não segue a indicação devido à demora até a chegada de uma viatura da Brigada Militar. “Os trabalhadores do transporte têm horários e rotas a cumprir, mesmo após o assalto eles têm que continuar o serviço. Não tem como deixar os passageiros esperando até a chegada da polícia”, disse. De acordo com o STTR-Pel, desde o início do ano o transporte sofreu 71 assaltos à mão armada, média de 17 casos por mês.

O titular da Defrec, Rafael Lopes, garante que o registro de ocorrência é o que norteia a investigação da Polícia Civil. O delegado destaca a importância do B.O. e diz que somente através dele é possível mapear os locais de maior incidência dos crimes, características dos suspeitos e o modus operandi dos criminosos. “A partir disso é iniciada a investigação e definida a maneira como será feita a repressão a esses delitos”, comentou. Nos últimos 30 dias, quatro suspeitos envolvidos em diversos assaltos ao transporte coletivo foram presos pela Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Captura. “A queda nos casos é reflexo do conjunto de esforços entre Polícia Civil, Brigada Militar e Guarda Municipal. Esse trabalho certamente refletiu nas estatísticas”, considerou o delegado.

Motorista do transporte coletivo há 20 anos, *João (nome fictício), que faz a linha Zona Norte, acredita que os índices tenham caído. Em conversa com o Diário Popular, ele disse que não tem ouvido os colegas reclamarem de assaltos. O trabalhador, que já havia sido assaltado diversas vezes durante o serviço, comemora a queda. “Parece mesmo que deu uma acalmada. O pessoal não tem dito nada sobre isso, ainda bem que melhorou. Que continue assim”, comemorou.

Os dados também apresentaram queda na avaliação da Brigada Militar. De acordo com o subcomandante do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM), major Rogério Vasconcelos, a diminuição representa 90% se comparado a abril de 2016.

Orientação
Para evitar maiores prejuízos, motoristas e cobradores do transporte têm sido orientados pelo sindicato que representa a categoria a não andar com celular e objetos de valor, já que nos roubos acima de R$ 50,00 o trabalhador tem que tirar do próprio bolso e repor a quantia levada na ação.

Ações
A Guarda Municipal, através do Grupo de Ações Rápidas (GAR) e a Brigada Militar, tem realizado ações dentro do transporte coletivo. De acordo com o comandante da GM, Ladislau Neto, os agentes estão orientados a fazer, em dias predeterminados, ações de abordagens e fiscalização nas linhas com maior incidência de assaltos como Fragata, Pestano e Getúlio Vargas. A BM contribui através das ações de prevenção com a Operação Avante, com intensificação no patrulhamento e fiscalização ao transporte.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados