Cárcere

Em um ano, população carcerária cresceu 12,8%

Delegado penitenciário considera que o número reflete o trabalho desenvolvido na cidade

13 de Janeiro de 2018 - 18h00 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Comparação é entre os anos de 2016 e 2017
 (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Comparação é entre os anos de 2016 e 2017 (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A população carcerária do Presídio Regional de Pelotas (PRP) cresceu - em um ano - 12,8% se comparados os anos de 2016 e 2017, segundo aponta levantamento da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). No ano passado, a cadeia encerrou com 999 presos, no anterior, 886 apenados se amontovam nas celas da Unidade com quatro galerias, 75% ocupadas por integrantes do crime organizado. O PRP tem capacidade para 382 detentos.

No Estado, de dezembro de 2016 a dezembro de 2017, houve um aumento de 3.446 presos na massa carcerária. O sistema penitenciário gaúcho terminou o ano passado com mais de 37 mil presos. Neste início de 2018, o RS já conta com mais de 38,2 mil detentos, conforme dados estatísticos da Susepe.

O titular da 5ª Delegacia Penitenciária Regional (DPR), Fernando Zacotegui, diz que não considera os números locais altos. Para o delegado, eles representam o trabalho dos órgãos de Segurança Pública e do Judiciário. “Esse aumento é uma resposta do Estado à criminalidade. As forças policiais estão atuando e a Justiça cumprindo com a sua parte”, disse.

Para desafogar a superlotação da cadeia, a administração do PRP aguarda o fim do treinamento dos aprovados no último concurso da Susepe para implementar o Instituto de Monitoramento da 5ª Região Penitenciária, anunciado em outubro do ano passado. O Centro será instalado no anexo do Presídio e fiscalizará apenados que fazem uso da tornozeleira eletrônica. A perspectiva - a longo prazo - da Susepe é de que, com a implantação do centro, cerca de 600 presos sejam monitorados.

Na última quarta-feira a prefeitura entregou quatro computadores para Instituto de Monitoramento Penitenciário da 5ª Região. Os equipamentos, doados pela Faculdade Anhanguera para uso em projetos do Pacto Pelotas pela Paz, foram repassados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) para auxiliar na implantação do serviço.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados