De boa na lagoa

Oficina alia preservação ambiental e esporte no Laranjal

Surfista profissional ensina jovens a construir pranchas de Stand Up Paddle utilizando material reciclável

12 de Novembro de 2017 - 12h45 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Irmãos João e Manuela Batista aprenderam a fazer a prancha e a praticar Stand Up Paddle (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Irmãos João e Manuela Batista aprenderam a fazer a prancha e a praticar Stand Up Paddle (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Desde 2007 Jairo Lumertz percorre o país com a esposa Carolina  Scorsin para estimular jovens a praticar esportes e preservar o meio ambiente (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Desde 2007 Jairo Lumertz percorre o país com a esposa Carolina Scorsin para estimular jovens a praticar esportes e preservar o meio ambiente (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Quando se quer de verdade, não há obstáculo. Nem mesmo o vento gelado de um final de semana nublado à beira da Lagoa dos Patos é o suficiente para desanimar quem quer aprender um novo esporte. Ainda mais quando se pode, ao mesmo tempo, contribuir com a preservação do meio ambiente. Foi o que aconteceu na manhã deste domingo (12) na Praia do Laranjal, em Pelotas.

Dentro da água, próximo ao trapiche, um grupo se juntou para aprender um pouco mais sobre o Stand Up Paddle (SUP) com o surfista profissional Jairo Lumertz, 44. Após viver sete anos no Hawaii e desenvolver um método de fabricação de pranchas com garrafas pet, ele e a esposa Carolina Scorsin, 37, resolveram levar a todo o Brasil oficinas em que ensinam a produzir artesanalmente o material para SUP. Desde 2007, já foram 14 estados visitados, palestras para 20 mil crianças e jovens e mais de cinco mil pets retiradas do ambiente.

“Isso começou com a nossa preocupação com a natureza, levando adiante a causa da preservação e da reciclagem, mostrando que dá para reaproveitar materiais e aprender um esporte”, diz Lumertz. A ideia de mostrar o trabalho em Pelotas partiu de um convite de Francisco Diniz, representante da Freesurf, marca especializada em materiais para praticantes de surf e stand up.

Se o vento e a água fria faziam muita gente ficar só do lado de fora da lagoa observando, para os irmãos João e Manuela Batista, de dez e oito anos, não queriam sair de cima das pranchas que aprenderam a fazer. Filhos de pescadores e moradores da Colônia Z-3, se apaixonaram pelo esporte. “Gostei muito, quero uma prancha dessas. Vou tentar conseguir todo o material para fazer a minha”, afirma a pequena nova entusiasta do SUP.

Manhã de mais atividades

Não foi só a oficina de fabricação de pranchas que movimentou o Laranjal na manhã de domingo. Centenas de pessoas participaram da 2ª Corrida da Lagoa, percorrendo trajetos de cinco e dez quilômetros com largada e chegada pela avenida Antônio Augusto Assumpção Júnior.

Em preparação para a Corrida de São Silvestre no final do ano, a arquiteta Renata Vieira enfrentou o vento contrário em boa parte da prova e saiu satisfeita com o resultado. “Atrapalhou um pouco, mas mesmo assim fiz meu recorde pessoal, foi muito bom”, avalia.

Confira a galeria de fotos

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados