Aluguel

Locações comerciais com mais procura

Desocupadas há três meses, as instalações da antiga agência do Banco do Brasil na rua Padre Anchieta estão em negociação

08 de Outubro de 2017 - 17h23 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Empresas de fora procuram este tipo de imóvel para expansão, conscientes de que Pelotas é importante centro de distribuição de produtos e de prestação de serviço (Foto: Gabriel Huth - DP)

Empresas de fora procuram este tipo de imóvel para expansão, conscientes de que Pelotas é importante centro de distribuição de produtos e de prestação de serviço (Foto: Gabriel Huth - DP)

Muitos dos prédios comerciais desocupados há vários meses - até mais de um ano - começam a ser ocupados em Pelotas, como reflexo do momento de expectativas positivas para a economia brasileira, diante de índices em crescimento. “Era um mercado retraído”, diz vice-presidente do Secovi - Sindicato da Habitação, Ricardo Bortowski, apontando mudanças neste cenário nos últimos meses.

Nos preços, os valores de locação estão iguais, explica o empresário, responsável pela negociação do antigo prédio da filial de Lojas Manlec para a da CR Diementz, que começou a funcionar ontem no Calçadão da Andrade Neves. Segundo o diretor de Expansão da CR Diementz, Vanderlei Rodrigues, a negociação de três meses resultou numa bonificação, que permitiu a troca do endereço da General Osório pelo do Calçadão.
“O fluxo de clientes em compras é aqui”, conta Rodrigues, acompanhado pelo gerente comercial Igor Soares. A rede tem matriz na cidade gaúcha de Portão, foi fundada em 1º de maio de 1956 e tem 84 filiais. Nas novas instalações, são gerados 14 empregos - quatro deles novos.

Desocupadas há três meses, as instalações da antiga agência do Banco do Brasil na rua Padre Anchieta estão em negociação, diz o proprietário Renzo Antonioli. “As oportunidades surgem, mas é preciso ter paciência para ter contratos melhores”, explica o empresário. Com área de 750 metros quadrados e dois pisos, é o maior nas proximidades, segundo Antonioli.

Diretor do Secovi, José Dilmar Alves concorda que este é um mercado aquecido, que tem pouca oferta. A maioria são imóveis pequenos, bastante procurados pelas franquias, com aluguéis até R$ 4 mil. Com mais de dois mil metros quadrados, eles têm preços entre R$ 10 mil e R$ 15 mil. Empresas de fora procuram este tipo de imóvel para expansão, conscientes de que Pelotas é importante centro de distribuição de produtos e de prestação de serviço.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados