Data

Números positivos para o Dia da Criança

Levantamento feito pela entidade junto aos lojistas aponta um crescimento de 4% nas vendas

06 de Outubro de 2017 - 11h42 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Estoques. Lojas estão preparadas para agradar a criançada (Foto: Gabriel Huth - DP)

Estoques. Lojas estão preparadas para agradar a criançada (Foto: Gabriel Huth - DP)

Escolha. O estudante Augusto Souza foi buscar o presente da sobrinha (Foto: Gabriel Huth - DP)

Escolha. O estudante Augusto Souza foi buscar o presente da sobrinha (Foto: Gabriel Huth - DP)

As expectativas são animadoras, segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas) de Pelotas, Gilmar Bazanella. Com um cenário econômico positivo nos últimos dois trimestres, a venda de presentes para o Dia da Criança pode crescer 4% no comércio pelotense, conforme aponta levantamento feito pela entidade junto aos lojistas.

Este índice, no entanto, tem como base o resultado negativo para a data obtido no ano passado, lembra o líder varejista. Em relação ao ano anterior, as vendas para o Dia Criança em 2016 ficaram 8,6% abaixo. Para o tíquete médio, o levantamento feito no começo desta semana encontrou o valor de R$ 78,00. Depois do Natal, o Dia da Criança tem se mostrado em vendas em patamar semelhante ao do Dia das Mães, avalia Bazanella, com um número maior de familiares e amigos presenteando as crianças.

Augusto Souza, de 16 anos, estudante de Eletrônica no Instituto Federal IFSul, buscava ontem o presente para Leslye, sua única sobrinha, de 12 anos. Sua preferência recaía para jogos de cartas, seguindo a preferência dela, conta o jovem.

Já a comerciante Lucimara Tuchtenhagen ainda não viu as vendas de brinquedos deslancharem. Sua expectativa estão voltadas para o pagamento dos salários neste quinto dia último dia do mês. Mas Lucimara sente a falta de um produto preferido pelas meninas neste ano: a boneca LOL, que teve a única remessa do fabricante para as lojas esgotada.

Aumentos projetados
►Estado - 6%
►País - 3,4%


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados