Experiência

Arte para aguçar os sentidos

Experimento dentro do Grande Hotel desafia o visitante a uma experiência lúdica e sensorial

22 de Setembro de 2017 - 15h40 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

 Estrutura criada apresenta cinco ambientes. (Foto: Camila Freitas - Especial DP)

Estrutura criada apresenta cinco ambientes. (Foto: Camila Freitas - Especial DP)

Ouvir, ver, sentir, tocar e se deixar ser tocado. Esta é a proposta do Nós Instalação Intersensorial, evento multidisciplinar que recebe o público neste final de semana, no interior do Grande Hotel. A atividade, que abrange as áreas das artes, ciências e da saúde, tem visitação gratuita, neste sábado e domingo (23 e 24), das 14h às 20h. O projeto foi contemplado pelo edital de apoio a eventos da Secretaria de Cultura de Pelotas.

A produtora fonográfica Led foi quem teve a ideia de criar um ambiente interativo. Logo uma rede de amigos se formou e ampliou o projeto. Em pouco mais de seis meses o projeto já estava pronto e aberto à comunidade.

A montagem da estrutura começou dia 6 deste mês e a primeira sessão ocorreu há uma semana. No sábado passado a atividade foi para grupos fechados agendados previamente, no domingo foi aberto ao público em geral. Além deste final de semana a instalação estará aberta para visitação nos dias 30 deste mês e 1º de outubro, nos mesmos horários.

O projeto foi criado com a união de dois coletivos, o Noz Audiovisual, produtora dos acadêmicos do curso de Cinema e Audiovisual em Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Camila Freitas e Takeo Ito, e o Nós Intersensorial, que tem a participação da produtora fonográfica Led, a artista Jéssica Porciúncula, acadêmica em Artes Visuais da UFPel, a atriz Melissa Velasques, e as acadêmicas em Psicologia e Música, respectivamente, Gabriela Medina e Gabriela Mesquita.

Cinco ambientes
A visitação funciona como um percurso com duração de 15 a 25 minutos. Esse passeio é conduzido por um facilitador e é feito em grupo de no máximo sete pessoas.

O grupo percorre cinco ambientes, cada um deles com elementos para interatividade, experimentação e observação.

Como a ideia era propor uma experiência interativa, o grupo optou por ter uma pessoa que interagisse com os visitantes e os deixasse à vontade para se abrirem ao que está sendo proposto. “Geralmente você vai em uma exposição e não pode tocar em nada. Por causa disso há muito receio das pessoas sobre o que pode mexer ou não”, diz Jéssica Porciúncula.

Os espaços também foram pensados de acordo com o tipo de estímulo que se queria passar ao visitante. “Pensamos em cima de algumas palavras chaves. Ao mesmo tempo sabíamos que aquilo que nos traz conforto pode não trazer ao outro”, conta Takeo Ito.

No primeiro final de semana de visitação os organizadores viram na prática que cada pessoa traz uma contribuição muito pessoal ao experimento. Acabaram mudando muito do que eles tinham pensado e trazendo novos pontos de vista. “Percebemos que a arte é mutável e influenciável”, fala Led.

Para o grupo fica claro que até o final do projeto muita coisa vai ter mudado. “Tem algumas coisas que são recolocadas no lugar, outras a gente deixa como o grupo anterior mexeu. Se ficou interessante, não vejo porque mudar”, argumenta Jéssica.

O quê? Nós Instalação Intersensorial
Quando? Sábado e domingo, das 14h às 20h
Onde? Grande Hotel, rua Lobo da Costa, 51
Entrada gratuita
Classificação indicada: 16 anos


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados