dos Prazeres

Um caminho para o Barro Duro

Construção de passarela na praia, interligando o Balneário Santo Antônio e o Balneário dos Prazeres, é um dos projetos de mobilidade urbana da prefeitura

12 de Agosto de 2017 - 07h43 Corrigir A + A -
Projeção de como ficará passarela no Barro Duro (Foto: Divulgação - DP)

Projeção de como ficará passarela no Barro Duro (Foto: Divulgação - DP)

Projeto está no Plano Plurianual da prefeitura (Foto: Divulgação - DP)

Projeto está no Plano Plurianual da prefeitura (Foto: Divulgação - DP)

A atenção que moradores do balneário dos Prazeres (Barro Duro) tanto reivindicam para a região pode, finalmente, estar a caminho. A construção de uma passarela de madeira que percorrerá a orla da lagoa dos Patos está entre os projetos da prefeitura no Plano Plurianual (PPA) 2018/2021. O investimento promete oferecer maior lazer para moradores e turistas, qualificando o espaço público do balneário.

A obra faz parte do Plano Plurianual do governo para os próximos anos. A escolha das áreas contempladas com investimento teve participação popular, através de votação na internet - o eixo Espaço Público foi um dos que recebeu mais votos da população.

O início da estrutura ficará no final da avenida Antônio Augusto Assumpção Júnior (estrada de areia), à esquerda da rótula do chafariz, e seguirá o caminho paralelo à orla e à mata nativa. Com 900 metros de extensão, 50 centímetros de altura da areia e 2,25 metros de largura, a passarela feita com madeira de eucalipto é um fio de esperança para moradores do Barro Duro, que cobram mais investimentos na praia.

Lidiane Almeida, 22, funcionária de uma padaria em frente à praça Aratiba, quando informada pela reportagem sobre o projeto, ficou animada - para ela, o projeto pode trazer movimento para a região. Moradora da localidade desde a infância, Lidiane argumenta que a praia perdeu vida nos últimos anos. "A orla virou palco de drogas e violência, além de muita sujeira. Até o comércio tem pouco movimento. Antigamente era bem melhor. O balneário Santo Antônio é mais visto, mas a natureza daqui é muito mais bonita", diz, descrevendo o cenário de desassistência.

Paulo Costa, de 36 anos, todos vividos no Barro Duro, compartilha a mesma opinião. E mais: teme que o investimento não saia do papel. "Fazemos reunião, reivindicamos, mas as melhorias não chegam", critica. A ideia de uma passarela seria, então, uma forma de valorizar o balneário. "Pro bairro seria ótimo, ia ficar show de bola", resume.

Orçada em R$ 220 mil, o trajeto ficará há 20 metros de distância da lagoa e terá quatro escadas para descida até a areia. A construção ficará sob responsabilidade da Secretaria de Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana (SGCMU), que precisa enviar o projeto à Secretaria de Qualidade Ambiental (SQA) para então receber aval a respeito da viabilidade da obra e dos impactos ambientais. "É um sonho. Pode trazer mais comércio, turismo, caminhadas. É uma forma de valorizar a área, ter mais pessoas circulando", acredita o secretário Jacques Reydams.

O processo até o início das obras é longo. São quatro meses de espera até que a decisão da SQA seja apresentada. Se aprovada, as construções da nova passarela podem começar em 2018.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados