Mérito

Experiências da SMS são premiadas

Dois projetos de Pelotas ganharam destaque durante o 33º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde

17 de Julho de 2017 - 09h30 Corrigir A + A -
Em Brasília. A servidora Tatiana Costa apresentou o Mão de Obra Prisional (Foto: Divulgação - DP)

Em Brasília. A servidora Tatiana Costa apresentou o Mão de Obra Prisional (Foto: Divulgação - DP)

A Secretaria de Saúde (SMS) de Pelotas foi premiada em Brasília com dois projetos apresentados durante a 14ª Mostra Brasil Aqui tem SUS no 33º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. Mão de Obra Prisional no SUS - Uma Alternativa Viável?, de Leandro Thurow, foi classificada como a melhor experiência na temática Administração Pública e Judicialização da Saúde no Município, e E-mais Educação Permanente - Monitoramento e Avaliação de Iniciativas em Saúde, de Letycia Gonçalves, como a melhor experiência do Rio Grande do Sul com o prêmio de indicação de documentário do Projeto Webdocs Brasil Aqui tem SUS.

O Mão de Obra Prisional no SUS é um projeto realizado em parceria com a Superintendência dos Serviços Penitenciários do Rio Grande do Sul (Susepe) e o Presídio Regional de Pelotas (PRP) que já reformou 15 prédios da SMS, sendo 14 Unidades Básicas de Saúde (UBS). O próximo a ser inaugurado com os serviços dos apenados do regime semiaberto é o do Cartão SUS e Transportes. “Vivíamos uma crise na manutenção dos mais de 60 prédios da Secretaria. Precisávamos ser criativos e arranjar alternativas”, conta Thurow. “Além de economizar 50% da obra, a iniciativa se tornou um marco da inclusão e da integração. A sociedade precisa entender que é preciso investir na ressocialização do preso, que voltará em breve ao convívio social”, ressalta a secretária de Saúde, Ana Costa.

Além da SMS, a Secretaria de Serviços Urbanos e Infraestrutura (Ssui) também se utiliza da mão de obra prisional na limpeza de vias e na elaboração de ecolixeiras, criadas a partir de pneus usados e que fazem parte da campanha Seja Doce com Pelotas.

Em Brasília, o projeto concorreu com 5.570 municípios brasileiros e foi apresentado pela servidora Tatiana Costa. O Mão de Obra Prisional também foi reconhecido nacionalmente em 2015, quando recebeu o prêmio InovaSUS como a 4ª Melhor Experiência Nacional de Saúde implementada na Gestão do Trabalho no SUS. Esse e o último certificado são reconhecidos pela Organização Pan-Americana de Saúde.

Já a experiência E-mais Educação Permanente é sobre a orientação com os cirurgiões-dentistas da Secretaria e das equipes de Saúde Bucal. Através de 46 oficinas, entre 2014 e 2016, o projeto permitiu que os profissionais elencassem problemas, objetivos, metas e indicadores de suas atividades. Os resultados foram maiores envolvimento e responsabilidade da equipe, pois os servidores incorporaram o processo de avaliação nas suas rotinas. O prêmio será a gravação de um documentário sobre a próxima etapa da experiência, que constitui em um levantamento epidemiológico sobre as condições de saúde bucal dos usuários.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados